quinta-feira, 19 de julho de 2018

Liga explica que ficheiros exibidos na internet não são os mesmos que rececionou

BENFICA
18 Julho 2018 às 16:49

Liga reagiu à divulgação na internet de contratos de jogadores do Benfica.

A Liga enviou esta quarta-feira uma nota a O JOGO, na sequência da polémica causada pela divulgação dos contratos de Facundo Ferreyra e Nicólas Castillo na internet. 
Já esta quarta-feira, foram expostos os vínculos de Diogo Gonçalves e Lema. 
No que toca ao primeiro caso, cedido ao Notthingham Forest, de Inglaterra, são documentos de acordo internacional que não passam pela Liga, apenas pela FPF e FIFA.

Eis o texto na íntegra:

"No seguimento de notícias visando eventuais fragilidades nas plataformas que gerem o processo de inscrição de contratos das sociedades desportivas, a Liga Portugal esclarece:

1. A Liga Portugal é um organismo com Certificação de Qualidade pela norma ISO 9001/2015, a primeira liga profissional de futebol a obter tal chancela.
2. A plataforma Transfer está em vigência há várias temporadas desportivas, sendo que nos últimos dois anos todo o registo e inscrição de jogadores fez-se exclusivamente por esta via.
3. A plataforma Transfer tem agregado um sistema de segurança elevadíssimo, que é auditado por entidade externa e independente.
4. Na sequência dos alertas ontem tornados públicos, a Liga Portugal entendeu reforçar os níveis de segurança dos seus sistemas e plataformas, já de si com padrões securitários elevados.
5. As primeiras conclusões das auditorias em curso na Liga Portugal concluíram que os ficheiros exibidos na internet não são os mesmos rececionados pelos nossos serviços, e que foram posteriormente enviados para a FPF.
6. As fragilidades identificadas pelo relatório da FPF tornado público são recíprocas, uma vez que foram combinadas e estabelecidas entre as duas entidades.
7. Apesar das auditorias em curso no organismo que tutela o Futebol Profissional, não será possível determinar a fonte de outros documentos e ficheiros entre os que foram tornados públicos ontem e hoje, na medida em que são documentos não processados nem rececionados pelos nossos serviços, dizendo apenas respeito a procedimentos obrigatórios junto dos serviços da FPF e da FIFA"

Federação aponta fuga de contratos para a Liga ou Benfica

BENFICA
18 Julho 2018 às 17:08
Documento enviado pela Federação Portuguesa de Futebol para a Liga não terá sido o mesmo divulgado na internet, avança a Sábado.

Segundo a Sábado, o documento enviado pela Federação Portuguesa de Futebol para a Liga, referentes aos contratos de Facundo Ferreyra e Nicolás Castillo, não é o mesmo divulgado na internet, pelo que não teve origem na instituição [FPF].

A conclusão é da auditoria forense feita pelo diretor de tecnologia da Federação, Hugo Freitas. 
"A comparação entre o ficheiro existente no site mercado de benfica e a versão enviada pela Liga para a FPF dita que não são o mesmo ficheiro", escreveu o diretor de tecnologia, apontando a fuga de informação para a Liga ou para o próprio Benfica.

"A Federação Portuguesa de Futebol não recebe diretamente" do clube os contratos, segundo a auditoria. 
Estes são "enviados pela Liga Portuguesa de Futebol Profissional por email para uma contra da FPS", no entanto, são remetidos comprimidos, com uma "password fraca e enviada para os serviços da FPF de forma pouco segura", destaca Hugo Freitas. 
O mesmo diz ainda que a informação que saiu do Estádio da Luz com os contratos foi enviada para vários destinatários.

Divulgação dos contratos do Benfica: FPF solicita intervenção da PGR

BENFICA
18 Julho 2018 às 21:54

O Benfica anunciou que iria apresentar uma queixa contra LPFP e FPF pela fuga de informação dos contratos dos jogadores Ferreyra e Castillo

O presidente da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), Fernando Gomes, solicitou esta quarta-feira à Procuradoria Geral da República (PGR) que averigue a divulgação dos contratos de dois jogadores do Benfica, após queixa do clube, disse fonte federativa.

Além da solicitação de Fernando Gomes, também a Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP) pretende ver esclarecido o caso, tendo anunciado, em comunicado, que vai "avançar com uma queixa-crime com vista às perícias e auditorias de entidades com competência amplamente reconhecida para o efeito".

O Benfica anunciou que iria apresentar uma queixa contra LPFP e FPF pela fuga de informação dos contratos dos jogadores Ferreyra e Castillo, que foram divulgados na terça-feira num blogue que tem revelado documentos e emails do clube.

Inicialmente, os encarnados tinham também incluído a FIFA e o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), mas revelaram que, depois de analisados os documentos, os mesmos não estariam na origem das fugas.

Entretanto, a Liga esclareceu, no mesmo comunicado, ser um organismo que trabalha "com Certificação de Qualidade pela norma ISO 9001/2015, sendo a primeira liga profissional de futebol a obter tal chancela", e explicou que "a plataforma Transfer está em vigência há várias temporadas desportivas, sendo que nos últimos dois anos todo o registo e inscrição de jogadores fez-se exclusivamente por esta via".

Embora justifique que aquela plataforma "tem agregado um sistema de segurança elevadíssimo, que é auditado por entidade externa e independente", a Liga, "na sequência dos alertas ontem [terça-feira] tornados públicos, entendeu reforçar os níveis de segurança dos seus sistemas e plataformas, já de si com padrões securitários elevados".

Segundo a Liga, os primeiros resultados "concluíram que os ficheiros exibidos na internet não são os mesmos rececionados" pelos serviços da Liga e que foram posteriormente enviados para a FPF e que "as fragilidades identificadas pelo relatório da FPF tornado público são recíprocas, uma vez que foram combinadas e estabelecidas entre as duas entidades".

A Liga conclui que, "apesar das auditorias em curso no organismo que tutela o futebol profissional, não será possível determinar a fonte de outros documentos e ficheiros entre os que foram tornados públicos ontem (terça-feira) e hoje, na medida em que são documentos não processados nem rececionados pelos serviços, dizendo apenas respeito a procedimentos obrigatórios junto dos serviços da FPF e da FIFA".

Suspeitas levantadas levam a Liga a avançar com queixa-crime

BENFICA
18 Julho 2018 às 22:03

Liga entendeu avançar com uma queixa-crime depois das suspeitas levantadas em torno da divulgação dos contratos de Ferreyra e Castillo.

Objeto de queixas-crime do Benfica, na sequência da divulgação dos contratos de Ferreyra e Castillo, a Liga e a Federação Portuguesa de Futebol (FPF) demarcam-se de tais acusações, tomando posição pública após auditorias internas, com a FPF a apontar mesmo para falha interna na Luz. 
Fonte da FPF explicou esta quarta-feira que o presidente Fernando Gomes solicitou à Procuradoria Geral da República (PGR) que averigue a divulgação dos contratos.

Já a Liga entendeu avançar com uma queixa-crime com vista às perícias e auditorias das entidades com competência amplamente reconhecida para o efeito, assegurou uma fonte.

Recorde-se que ainda esta quarta-feira foram também expostos os compromissos de Diogo Gonçalves e Lema, sendo que o primeiro, cedido ao Nottingham Forest, do segundo escalão inglês, corresponde a acordo internacional que não passa pela Liga, mas sim por FPF e FIFA.

De acordo com o revelado pela "Sábado", uma auditoria forense feita pelo diretor de tecnologia da FPF, Hugo Freitas, admite falha interna do Benfica, argumentando que a digitalização dos contratos em questão identifica impressoras da Luz, ou uma possível fuga por parte da Liga, a qual, após averiguação interna, refutou responsabilidades, advogando que "os ficheiros exibidos na Internet não são os mesmos" quando comparados com os rececionados.

Comissão de Fiscalização pede "recato" para decidir processos no Sporting

SPORTING
19 Julho 2018 às 15:42

Comunicado reage a afirmações de candidatos.

Bruno de Carvalho foi o primeiro candidato a tentar formalizar a candidatura, junto dos serviços do Sporting, mas não conseguiu avançar com o processo, com Jaime Marta Soares a dizer, depois, que não poderá aceitar uma candidatura de sócios suspensos. 
O ex-presidente contrariou, depois, garantindo que vai participar no ato eleitoral de 8 de setembro.

Em reação a estas, e outras declarações, a Comissão de Fiscalização do Sporting Clube de Portugal emitiu um comunicado no qual garante, em primeiro lugar, estar legitimada, por decisões judiciais, lembrando que aplicou o Regulamento Disciplinar aprovado a 17 de fevereiro de 2018, pelo Conselho Diretivo de Bruno de Carvalho.

Sobre os processos de Bruno de Carvalho e Carlos Vieira, a Comissão esclarecer que decidirá, oportunamente, os mesmos. 
"A suspensão dos membros, entretanto destituídos em AG, do Conselho Diretivo, entre os quais os drs. Bruno de Carvalho e Carlos Vieira, resulta de uma participação de sócios com plenos direitos e encontra-se na sua fase final de averiguação. 
A resolução do processo será comunicada oportunamente, dependendo, entre outros, da colaboração dos testemunhos dos visados."

A terminar, a Comissão pede "algum recato" aos visados, mas também a outros, para poder "concluir-se com êxito o desígnio comum, que se materializa no superior interesse do Sporting Clube de Portugal."

Bruno na AR finta o comunicado da Comissão de Fiscalização

SPORTING
19 Julho 2018 às 18:22
Bruno de Carvalho marcou na tarde desta quinta-feira presença na Assembleia da República.

Bruno de Carvalho marcou na tarde desta quinta-feira presença na Assembleia da República para uma sessão de esclarecimento no Núcleo Sportinguista. 
Horas depois do comunicado emitido pela Comissão de Fiscalização, o ex-presidente do Sporting, que tenciona concorrer às eleições do dia 8 de setembro, não quis pronunciar-se sobre o assunto. 
Ontem, o advogado e mandatário Pedro Proença tentou apresentar as listas, mas as mesmas não foram aceites por Jaime Marta Soares.

"Vir à Assembleia é sempre um recordar de infância, foi onde cresci. 
Vim falar com os sportinguistas da Assembleia. 
É sempre bom vir a um sítio onde cresci. 
Venho apresentar o meu projeto", disse aos jornalistas.

A Comissão de Fiscalização do Sporting, recorde-se, emitiu um comunicado no qual garante, em primeiro lugar, estar legitimada, por decisões judiciais, lembrando que aplicou o Regulamento Disciplinar aprovado a 17 de fevereiro de 2018, pelo Conselho Diretivo de Bruno de Carvalho.

Sobre os processos de Bruno de Carvalho e Carlos Vieira, a Comissão esclarecer que decidirá, oportunamente, os mesmos. 
"A suspensão dos membros, entretanto destituídos em AG, do Conselho Diretivo, entre os quais os drs. Bruno de Carvalho e Carlos Vieira, resulta de uma participação de sócios com plenos direitos e encontra-se na sua fase final de averiguação. 
A resolução do processo será comunicada oportunamente, dependendo, entre outros, da colaboração dos testemunhos dos visados."

Bruno faz mira à Comissão de Fiscalização: "O regulamento só está em vigor há poucos dias..."

SPORTING
Bruno Fernandes
19 Julho 2018 às 20:24

Bruno de Carvalho marcou esta quinta-feira presença na Assembleia da República.

Bruno de Carvalho marcou esta quinta-feira presença na Assembleia da República para uma sessão de esclarecimento, tendo, à saída, deixado fortes críticas à Comissão de Fiscalização. 
"A Comissão de Fiscalização tem alguns predicados nos estatutos que não cumpre: não é isenta, não é verdade que se esteja a socorrer se dos regulamentos de fevereiro. 
Vários artigos dos estatutos foram alterados para que o regulamento disciplinar pudesse ser realidade. 
Não é o facto de ser um documento distinto que lhe dá corpo. 
Por culpa da ex-mesa os estatutos foram há poucos dias colocados no conservatório. 
O regulamento não existe. 
A casa não se faz do telhado para baixo. 
Se os estatutos não estão em vigor a não ser há alguns dias atrás...", afirmou aos jornalistas.

"Esta Comissão de Fiscalização não cumpre os estatutos, não é isenta, imparcial. 
Não é legal, não cumpre os estatutos. 
O regulamento só esta em vigor há poucos dias e o processo tem mais de um mês. 
Não tenho interesse no que dizem", continuou.

"A recetividade é visível, as pessoas querem esta recandidatura. 
São cinco anos de trabalho e obra feita, de amor e dedicação ao Sporting", disse ainda Bruno de Carvalho.

A Comissão de Fiscalização do Sporting, recorde-se, emitiu um comunicado no qual garante, em primeiro lugar, estar legitimada, por decisões judiciais, lembrando que aplicou o Regulamento Disciplinar aprovado a 17 de fevereiro de 2018, pelo Conselho Diretivo de Bruno de Carvalho.

Sobre os processos de Bruno de Carvalho e Carlos Vieira, a Comissão esclarecer que decidirá, oportunamente, os mesmos. 
"A suspensão dos membros, entretanto destituídos em AG, do Conselho Diretivo, entre os quais os drs. Bruno de Carvalho e Carlos Vieira, resulta de uma participação de sócios com plenos direitos e encontra-se na sua fase final de averiguação. 
A resolução do processo será comunicada oportunamente, dependendo, entre outros, da colaboração dos testemunhos dos visados."